7 de dez de 2016

Gis Jazz


A cada
nosso encontro
A Kind of Blue

O golpe do
trompete
molda dois sóis
noturnos - os seus olhos
           dois sax
           futuros

"So What ?" -
lindas luzes da cidade



17 de nov de 2016

Cenário I

Mar
    ar      expansão
                    de crianças sem nome
                     unindo-se à areia;    meer
Mer
Ocean  -  murmúrio
                intenso
                          das ondas

     choque
     nas rochas


serenas águas-
             vivas
             mortas


      sob
      o sol



12 de nov de 2016

Poesia

Ainda que a
vida
prescinda de
mim

carregar você no
meu bolso
sideral - sombras
     indecisas, labirintos de
        sabor    -  
                          algures :

você surge
ataviada com os colares
da surpresa

sabe se compor
nesse doce
dilema, nessa

mesa

voltada
      para o
            céu

6 de nov de 2016

Ano zero

Quem é
esse que
se põe a mesa
como um
livro -
         e esse livro
         é um livro de
         outro livro -
                           e esse
                           livro de outro
                           livro acaba
                                    em píxels
Quem é
esse que
sente
não mais sentir -
                         e esse não
                         sentimento o leva
                         para dentro -
                                            de um sentimento
                                            de alguém que
                                            também
                                                     evanesce
Quem são
esses que
inflam as ruas
(seus rastros
         lapsos) -
                     engolem seus
                     percalços em
                     pílulas
                     breves -
                                e desintegram-se
                                em benefício
                                         dos prédios
 











31 de out de 2016

Motel Augusta

Quem me
disse tchau
       - so long
         au revoir -
foi o
entorno do seu
corpo
        - penumbra de gata
           num quarto barato -

( no fundo profundo me dizendo adeus)

Já sozinho
será
inacreditável

que quando
acabar o
meu banho

seus vestígios
terão ido
pelo
ralo
       
- e você : um vulto
         
passado

talvez

26 de out de 2016

Menina do mar & dos ventos

Acorda a
poesia
e já provoca
a menina
do mar & dos ventos

Fuça
em sua
calcinha
penetra
em suas
frutas
alisa
o peixe rosa
do seu aquário imemorial &

no estuário
infernal
(meio-dia
sol a pino)

imperceptíveis
seus sucos se abraçam

um sol

um filho


Dor pop

Muito atento
pra você
não me dar
o chapéu

De você
quero
pouco -

o suficiente
para um poema
louco

e, no
entanto,
gourmet  
blasé

Não venha
você
com seus
excessos,

-  quero o
sucesso -
de uma dor
tranquila

despedir
lord byron

cuspir a
estricnina
na latrina &

ouvir muito
pop rock